Espiritualidade e turismo no Caminho da Espada de São Miguel

Espiritualidade e turismo no Caminho da Espada de São Miguel

Artigo escrito por Lucila Nedelciu – – Diretora da Raidho Viagens, operadora especializada em roteiros exóticos e diferenciados

Publicado na revista Ecotour em 15 de junho de 2017

Publicado no site Brasilturis em 06 de julho de 2017

Hoje em dia, há uma infinidade de rotas de peregrinação pelo mundo. Só no Brasil, a cada dia surgem novos caminhos, seguidos por pessoas que buscam uma resposta para suas vidas. Inclusive, já tivemos várias experiências interessantes com grupos que percorreram o Caminho de Santiago de Compostela, por exemplo.

As histórias são muitas de pessoas felizes por terem passado por essas oportunidades; para nós, representa o que sempre buscamos, ou seja, transformar suas vidas.Recentemente, tivemos a possibilidade de conhecer a fundo um caminho muito interessante, por intermédio de Moacyr Martins, coach espiritual e que trabalha com anjos há muitos anos.

Trata-se do Caminho da Espada de Miguel Arcanjo que, de acordo com tradições e lendas, durante uma luta com o diabo, o arcanjo desenhou o caminho sagrado com sua espada, criando uma fenda invisível para ligar os locais sagrados destinados a ele.

Assim, resolvemos conhecer mais sobre essa rota no continente europeu, que possui três pontos focais: Monte Gargano e Sacra de San Michele, na Itália, e Mont Saint Michel, na França. Esses três lugares são dedicados ao arcanjo e estão, exatamente, a mil quilômetros de distância um do outro, alinhados ao longo de uma linha reta.
Ao criar o roteiro, aprendemos muito sobre essa história incrível.

De acordo com Moacyr Martins, soubemos que a Terra é um ser vivo, assim como o corpo humano, e que possui um sistema de meridianos e chackras vitais para o mundo e para os seres vivos que dependem dos diferentes ambientes oferecidos pelo planeta. Assim, toda a rota está na linda do segundo chackra da Terra, mais conhecido como sacral, e que possibilita o nascimento de algo novo em nosso mundo.

O início da rota acontece em Monte Sant´Angelo, localizado ao sul da Itália, considerado o mais antigo santuário da Europa Ocidental dedicado ao arcanjo e onde está a Gruta de São Miguel. Na cidade, há diversos relatos de milagres ligados ao arcanjo, que está representado em uma estátua na região central.

Outro ponto imperdível é San Giovanni Rotondo, cidade da Puglia, famosa por abrigar os restos mortais do Padre Pio, herdeiro espiritual de São Francisco de Assis. Ele é conhecido mundialmente suas profecias, bilocação (presença simultânea em dois lugares diferentes) estigmas de Jesus Cristo, milagres e convivência com seu anjo da guarda. E já que o peregrino estará na Itália, é fundamental passar por Assis, cidade natal de São Francisco.

A peregrinação passa por Turim, que abriga a Sacra di San Michele, conhecida por ter inspirado as locações do filme “O Nome da Rosa” e construída a pedido do Arcanjo Miguel. Turim é famosa por ter sediado reuniões de grandes alquimistas da humanidade, como Leonardo da Vinci e Michelangelo.Segundo Moacyr, a sacra é um templo da era bizantina, toda encravada nas rochas, com uma escultura de Miguel. Uma das versões mais populares diz que Arcebispo de Ravenna, entre 986 e 997, queria construir uma abadia em honra de São Miguel Arcanjo no lado sul do Monte Caprasio. O trabalho começou, porém à noite, todas as pedras colocadas sumiam. O bispo, desesperado, descobriu que os ladrões não eram homens, mas anjos que, protegidos pela escuridão da noite, carregavam as pedras para o local onde foi construída e está até hoje.

O ponto alto da rota é o Mont Saint Michel, na França, considerado um dos maiores centros de peregrinação da Europa Medieval. Segundo uma lenda, o Arcanjo Miguel apareceu três vezes em 709 para o bispo de Avranches, pedindo para construir uma igreja sobre a rocha. Entretanto, o bispo ignorou o pedido duas vezes até que na terceira, Miguel tocou sua cabeça com o dedo, onde ficou um buraco (inclusive o crânio dele está exposto em uma cidade localizada há cerca de 100 quilômetros do Mont Saint Michel).

O peregrino ainda deve visitar Chartres, conforme recomendação de Moacyr, pois lá passam 10 meridianos da Terra. Quando a França ainda era a Gália, os celtas, que habitavam a região e veneravam a deusa terra dentro de um santuário subterrâneo, que foi mantido para homenagear a Virgem Mãe de Deus.

O caminho é impressionante; os relatos dos moradores surpreendem a todos e, embora tenha sido criado na Idade Média, ainda é desconhecido pela maioria dos brasileiros. Justamente por isso, convidamos Moacyr Martins para acompanhar um grupo, que trará não apenas fotos felizes, mas experiências transformadoras e nova uma consciência.

 

Deixe seu comentário